Howden Iberia compra o corretor do Grupo Bergé em EspanhaHowden Iberia e Bergé y Cía. anunciaram a concretização de venda do corretor de seguros Bergé y Asociados à Howden Iberia.

 

Este processo enquadra-se na estratégia de Bergé y Cía em focar a sua atividade nos negócios do setor automóvel, serviços logísticos e portuários, e na aposta de negócios de especialidade por parte da Howden Iberia.

Nos próximos meses, ambas as partes irão dedicar-se à análise conjunta de possíveis plataformas de Seguros de Automóvel nos países onde operam.

Segundo José Manuel González, CEO da Howden Iberoamérica, “esta operação aportará grande valor ao nosso grupo”. Em primeiro lugar explica que se trata de uma sociedade “rentável e bem gerida”; segundo, é “perfeitamente assimilável e integrável na nossa estrutura em Espanha”; o terceiro ponto que destaca é que abre à Howden Iberia “uma área de especialidade em que a nossa experiência era limitada” e por fim “permite conjugar o conhecimento adquirido na gestão de plataformas de seguros Auto de outros mercados e aplicá-lo não só à Iberia, mas a todos os países em que iremos começar a operar com este modelo de trabalho conjunto”.

Howden Iberia é parte de Hyperion Insurance Group, grupo internacional com sede em Londres dedicado à mediação e subscrição de seguros. Em Espanha tem um histórico de 10 anos de atividade, conta atualmente com 12 escritórios e cerca de 200 colaboradores. Em 2016 faturou 15,4 milhões de euros de comissões e com esta operação prevê encerrar 2017 com mais de 18 milhões de resultados.

Por seu lado, Bergé y Asociados Correduría de Seguros foi fundada em 1990 e presta serviço tanto às diferentes empresas do Bergé y Cia nas diferentes áreas, como a terceiros. Em 2016 registou resultados de 1,6 milhões em comissões.

Bergé y Cía. é um dos principais grupos empresariais espanhóis com faturação superior a 2.200 milhões de euros. Com ampla projeção internacional, opera nos setores automóvel, serviços logísticos e portuários.

Esta operação é sujeita à aprovação das entidades competentes.

O que de melhor se pode partilhar é o conhecimento